APFTV
 
 
 






 
 
 
 
indústria > dados indicativos do sector
DADOS INDICATIVOS DO SECTOR
 

Enquadramento do sector na indústria nacional

A indústria portuguesa de tintas representa cerca de 0,2% do número total de empresas da indústria transformadora nacional. O contributo deste sector é de 0,8%, para o Valor Bruto da Produção (VBP), e de 0,9% para o Valor Acrescentado Bruto (VAB). Em termos de emprego, o sector emprega cerca de 0,5% do total dos trabalhadores da indústria transformadora [INE, 2005].

É um sector constituído essencialmente por pequenas e médias empresas, mas, no entanto, as 10 maiores empresas representam cerca de 70% do total de volume de negócios.

A produtividade do trabalho, medida pelo quociente do VAB pelo número de efectivos, é muito superior à média da indústria transformadora nacional, o que também acontece relativamente ao grau de transformação sectorial (VAB/VBP), com um valor de 33,5%.

A APT representa cerca de 29% das empresas do sector, correspondentes às mais produtivas e com maior volume de negócios, sendo os seus associados cerca de 87% da facturação do mercado nacional.


Distribuição geográfica das empresas do Sector (fonte INE 2005)


Estrutura de Emprego

O número de efectivos que o sector emprega, de acordo com dados do INE de 2005, totaliza cerca de 4 700 trabalhadores directos, embora se pense que possa haver outros tantos indirectos.

A repartição dos trabalhadores pelas empresas associadas da APT, de acordo com os dados recolhidos pela Associação em 2008, é a seguinte:

Distribuição das empresas por nº trabalhadores (fonte: APT 2008)



Verifica-se assim que 62% das empresas têm entre 10 a 50 trabalhadores APT demonstrando um tecido empresarial de unidades de pequena e média dimensão.

Volume de Negócios


A distribuição do volume de negócios pelas empresas associadas da APT, reportada a 2008, é a seguinte:


Desta repartição deduz-se que 42 % das empresas nossas associadas têm volumes de facturação entre abaixo de 2 milhões de euros e as 3 maiores empresas são responsáveis por mais de 50 % da facturação global do sector.