APFTV
 
 
 






 
 
 
 
indústria > produtos > formação de película
 
FORMAÇÃO DE PELÍCULA 

A formação de uma película de tinta contínua e aderente ocorre em duas fases:


Secagem física (evaporação do solvente e fusão das partículas sólidas)

Seguida de reacção química, que torna a película insolúvel na água ou solventes e confere as propriedades mecânicas e químicas ao revestimento.



1. Secagem física por evaporação ao ar, à temperatura ambiente

Ligantes em solução – a libertação do solvente origina uma película uniforme e aderente ao substrato, mas sensível aos solventes.

Ligantes em dispersão aquosa – a evaporação da água aproxima as partículas do ligante, seguida da sua fusão, o que origina uma película contínua do polímero.
Este fenómeno designado por coalescência, tem lugar a uma dada temperatura, conhecida por “temperatura mínima de formação do filme” e que é característica de cada polímero. Esta temperatura pode ser baixada pelos “coalescentes” que asseguram uma plastificação temporária.

   

2. Secagem química

Ocorre após a evaporação do solvente e vai transformar as moléculas do ligante numa rede tridimensional, com propriedades mecânicas e resistência química acrescidas.

Secagem por oxidação – reacção química que ocorre à temperatura ambiente pela acção do oxigénio do ar (ex. óleos naturais secativos, alquídicas, ésteres de epóxido,etc.). Esta reacção lenta, catalizada pelos óleos secativos, continua e origina a perda de elasticidade da película, do brilho e é responsável pelo seu envelhecimento.

Secagem por policondensação – reacção química, com eliminação de pequenas moléculas (água, álcool, etc.). É normalmente desencadeada por elevação da temperatura (estufagem) e pára quando se atinge a temperatura ambiente.

Secagem por poliadição – reacção química, sem adição de pequenas moléculas, tendo lugar à temperatura ambiente, após adição, na altura da aplicação, de um segundo componente (tintas de dois componentes)

Secagem por polimerização radicalar – reacção de polimerização desencadeada por um iniciador do tipo peróxido (caso dos poliésteres insaturados na presença do estireno) ou por um fotoiniciador após exposição às radiações ultravioletas ou a um bombardeamento electrónico (caso das resinas acrílicas em presença de oligómeros líquidos).